domingo, 16 de dezembro de 2012

Produção de ônibus sobe em novembro, mas deve fechar o ano com expressiva queda


Entre outubro e novembro, a alta foi de 2,9%, mas no acumulado do ano, a produção de chassis soma 34 mil 231 unidades, o que representa queda de 23,4%
ADAMO BAZANI – CBN
Produção de ônibus no Brasil registra queda de 23,4% entre janeiro e novembro deste ano em comparação ao mesmo período de 2011. Foram produzidos até agora 34 mil 231 chassi ante 44 mil 703 ônibus no mesmo período do ano passado. Em relação a número de emplacamentos, a Volvo foi a empresa que mais cresceu. Foto: Adamo Bazani.
Produção de ônibus no Brasil registra queda de 23,4% entre janeiro e novembro deste ano em comparação ao mesmo período de 2011. Foram produzidos até agora 34 mil 231 chassi ante 44 mil 703 ônibus no mesmo período do ano passado. Em relação a número de emplacamentos, a Volvo foi a empresa que mais cresceu. Foto: Adamo Bazani.
Mesmo com as restrições às importações e a redução do IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados, a produção de veículos no Brasil deve fechar em queda de 1,5%, com 3,36 milhões de unidades. O número contraria as expectativas das fabricantes que esperavam alta em torno de 2% em relação ao ano de 2011.
No acumulado entre janeiro e novembro deste ano, a queda é de 2,1% na produção de veículos com 3 milhões 83 mil e 253 unidades, de acordo com dados da Anfavea – Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, divulgados nesta sexta-feira, dia 07 de dezembro.
São vários os fatores que contribuem para números pouco animadores da indústria automobilística, como o fraco desempenho da economia brasileira, com PIB – Produto Interno Bruto a níveis muito baixos, e a crise econômica internacional que afetou as exportações em cheio. Para se ter uma ideia, nos 11 meses deste ano, a queda nas exportações foi de 20,2%, com 400 mil 881 veículos ante 502 mil 279 unidades de janeiro a novembro do ano passado.
Os setor que mais sofreu com a retração na produção e que contribuiu para puxar para baixo os números da indústria foi o de veículos comerciais pesados, segundo a Anfavea.
Além dos fatores que contribuíram para os resultados negativos dos veículos leves, a entrada em janeiro de uma nova legislação de redução de poluição, que deixou os veículos mais caros, fez com que os frotistas antecipassem as renovações no ano passado e comprassem menos em 2012.
A maior queda é do segmento de caminhões. Foram produzidas até novembro, 129,9 mil unidades, o que representa queda de 39,4% nos 11 meses deste ano frente ao mesmo período de 2011.
O segmento de ônibus também amarga expressiva queda na produção do ano, de acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores.
Entre janeiro e novembro foram fabricados pelas associadas da Anfavea, 34 mil 231 chassis de ônibus. O número representa queda de 23,4% em comparação ao período de janeiro a novembro de 2011, quando houve recorde na produção e foram feitos 44 mil 703 ônibus. Mas a tendência é de recuperação no segmento de ônibus, maior até mesmo que no setor de caminhões. Entre outubro e novembro deste ano, a alta na produção de ônibus foi de 2,9%. Mas se for comparado o mês de novembro de 2011, quando foram fabricados 4 mil 585 chassis, com o mês de novembro deste ano, a queda é de 8,1%. No último mês, foram feitos, 4 mil 215 ônibus.
Para o ano de 2013, a Anfavea prevê um crescimento em toda a indústria de veículos na ordem de 3,5 % a 4,5% nos emplacamentos. Mas as vendas para o exterior devem continuar em queda, acumulando perdas em torno de 4,6%.

LICENCIAMENTOS DE ÔNIBUS

Os licenciamentos de ônibus entre janeiro e novembro deste ano acumulam queda de 16,6%, com 25 mil 921 unidades de chassis.
De acordo com dados da Anfavea, divulgados nesta sexta-feira, dia 07 de dezembro, a montadora que mais cresceu foi a Volvo e que registou a maior queda foi a Volkswagen/MAN. Acompanhe os números:

UNIDADES PRODUZIDAS DE JANEIRO A NOVEMBRO E VARIAÇÃO EM RELAÇÃO AO ANO PASSADO

  • AGRALE: 3.088 -23%
  • INTERNATIONAL: 56 (sem registro na variação)
  • IVECO: 1403 +18%
  • MAN/VOLKSWAGEN: 7200 -29,3%
  • MERCEDES BENZ: 11.681 -12,7%
  • SCANIA: 930 – 21,8%
  • VOLVO: 1563 unidades + 38,9%
Assim, a Mercedes continua sendo ainda a maior produtora de ônibus do Brasil, seguida pela Volkswagen e pela Agrale. A Volvo ultrapassou Iveco (que não é concorrente direta) e a Scania (que atua no mesmo nicho de mercado) e se tornou a quarta maior fabricante de ônibius do País.
A aposta da marca nos veículos de motorização dianteira, que é o maior mercado do Brasil, com o B270F, é um dos principais fatores para o crescimento da marca no setor de ônibus.
Adamo Bazanijornalista da Radio CBN, especializado em transportes
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário