segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Licitação em São Paulo é meta de Haddad, diz Tatto em Sindicato


Secretário de Transportes se encontra com presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de São Paulo.
ADAMO BAZANI – CBN
Jilmar Tatto garantiu em reunião com Sindicato dos Motoristas de São Paulo que licitação dos transportes na Capital sai este ano, mas ainda não está definido se o certame será apenas para permissionários ou para todo sistema.
Jilmar Tatto garantiu em reunião com Sindicato dos Motoristas de São Paulo que licitação dos transportes na Capital sai este ano, mas ainda não está definido se o certame será apenas para permissionários ou para todo sistema.
O secretário de transportes da cidade de São Paulo, Jilmar Tatto, disse que são várias ações necessárias na área de mobilidade urbana na capital paulista, mas o prefeito Fernando Haddad classificou entres estas ações três que considera fundamentais: a construção dos 150 quilômetros de corredores novos, criação do Bilhete Único Mensal (ambas promessas de campanha) e a realização da licitação dos transportes na cidade.
Apesar de o Bilhete Único Mensal e da implantação dos corredores não serem tarefas fáceis, a licitação deve ser um dos grandes desafios para o sucessor de Gilberto Kassab.
Os transportes na cidade de São Paulo têm uma estrutura basicamente dominada por dois grandes empresários: José Ruas Vaz, com empresas como Viação Campo Belo, Vip – Viação Itaim Paulista, Viasul, entre outras, e Belarmino de Ascenção Marta, com empresas como a Sambaíba.
Qualquer mudança do sistema que possa contrariar a estrutura destas empresas pode não ser bem interpretada pelos donos das viações. Isso, obviamente, se houiver interesse da Prefeitura em mudar algo.
Outro ponto que chama a atenção na licitação é em relação ao sistema local, formado por empresas menores e cooperativas de transporte complementar.
Sempre foi muito próxima a relação de Tatto com estas cooperativas de transportes coletivos, havendo inclusive investigações em torno de suspeitas de irregularidades, como favorecimentos.
Tatto se reencontra com alguns parceiros de cooperativas, mas agora o Ministério Público Estadual deve acompanhar o processo mais de perto.
Nenhuma das supostas irregularidades, no entanto, foi comprovada, apesar dos indícios.
Os contratos da última licitação, realizada em 2003, terminam neste ano.

PERMISSIONÁRIOS OU TODO O SISTEMA

O secretário Jilmar Tatto disse que Fernando Haddad, no entanto, não decidiu se vai fazer no meio do ano licitação apenas para os serviços de permissionários ou para todo o sistema.
A declaração de Jilmar Tatto foi dada em encontro, no dia 04 de janeiro, com o presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de São Paulo, Isao Hosogi, o Jorginho.
De acordo com o Portal Mundo Sindical, Jorginho fez uma série de exigências a Jilmar Tatto, como a criação da Garagem-Escola, construção de banheiros nos pontos finais e iniciais e reestruturação administrativa da SPtrans para evitar o que o sindicato considera “abuso na atuação e punição por parte de alguns fiscais”.
Jorginho também disse que na gestão do Gilberto Kassab os transportes “pioraram muito” e que 60% dos passageiros estão descontentes com os serviços de ônibus municipais.

PROBLEMAS COM SINDICATO

A administração anterior, de Kassab, enfrentou alguns episódios envolvendo o sindicato dos trabalhadores, além das naturais greves e esperadas reivindicações trabalhistas.
Assassinatos de sindicalistas e ex membros do sindicato por suposto recolhimento irregular do dinheiro de planos de saúde e assistência médica e denúncias de favorecimento de contratação de funcionários que pagariam propina a sindicalistas para serem contratados por empresas de ônibus, foram suspeitas que ocorreram nos últimos seis anos, mas sem apurações profundas.
Adamo Bazanijornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário